sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

AS PROFECIAS DE NOSSA SENHORA DO BOM SUCESSO.


'' - Em pouco tempo, o país no qual vives deixará de ser uma colônia e se tornará uma República livre. Então, conhecido sob o nome de Equador, ele necessitará de almas heroicas para lhe permitir afrontar tão numerosas calamidades públicas e privadas. Aqui , Deus sempre encontrará tais almas, como violetas escondidas. Quito será amaldiçoada sem este Convento! (…) No século XIX, haverá um verdadeiro presidente cristão (Garcia Moreno), um homem de caráter ao qual Deus, Nosso Senhor, dará a palma do martírio na praça adjacente ao meu Convento. Ele consagrará a República ao Sagrado Coração de meu Santíssimo Filho, e esta consagração sustentará a religião católica nos anos que se seguirão. Durante esses anos, que serão funestos para a Igreja, a seita execrável da maçonaria tomará a direção do governo civil. Uma cruel perseguição atingirá todas as comunidades religiosas e, também, violentamente, esta minha”. 
 A Virgem Maria lhe anunciou:
“ - Informo-te que a partir do fim do século XIX, e a partir do início da segunda metade do século XX, no que hoje é a Colônia, e que um dia será a República do Equador, as paixões explodirão, e haverá uma corrupção total dos costumes,pois Satanás reinará quase que completamente por meio das seitas maçônicas.
Para manter esta corrupção geral, estes se concentrarão principalmente sobre as crianças. Aí das crianças dessa época! Será difícil receber o sacramento do batismo, assim como o da confirmação. As crianças só receberão o sacramento da confissão se elas continuarem nas escolas católicas, pois o diabo se esforçará para destruí-la por meio de pessoas em posição de autoridade. O mesmo ocorrerá com a santa comunhão. (…)
Quanto ao sacramento do casamento, que simboliza a união de Cristo com sua Igreja, ele será atacado e profundamente profanado. A maçonaria, então no poder, promulgará leis iníquas com o intuito de eliminar esse sacramentotornando fácil para cada um viver no pecado, e encorajando a procriação de crianças ilegítimas, nascidas sem a bênção da Igreja. O espírito católico diminuirá muito rapidamente; a luz preciosa da fé se apagará progressivamente, até que se chegue a uma quase total corrupção dos costumes.(…)
Nesses tempos lastimáveis, haverá uma luxúria desencadeada que arrastará as pessoas ao pecado e conquistará inumeráveis almas frívolas que serão perdidas.Quase não se achará mais inocência entre as crianças, nem modéstia entre as mulheresNesse supremo momento de necessidade da Igreja, aqueles que deveriam falar ficarão em silêncio!
Verás tudo isso do céu, onde não sofrerás mais, minha filha bem-amada, mas tuas filhas e aquelas que as seguirão sofrerão. Estas almas bem-amadas que já conheces, apaziguarão a ira divina. Elas recorrerão a mim, pela invocação de Nossa Senhora do Bom Sucesso, cuja te peço para mandar esculpir a estátua, para a consolação e a preservação de meu convento, e para as almas fiéis desses tempos, uma época onde haverá uma grande devoção para comigo, porque sou a Rainha do céu sob numerosas invocações.
Esta devoção será o escudo entre a Justiça divina e o mundo prevaricador, para impedir a realização da terrível punição de Deus que esta terra culpável merece“.
A Virgem Maria confiou estas palavras à Madre Mariana:
“ - Tudo isso só será conhecido pelo grande público no século XX. Durante esse período, a Igreja se encontrará atacada por terríveis hordas da seita maçônica, e esta pobre terra do Equador estará agonizante por causa da corrupção dos costumes, da luxúria desenfreada, da imprensa ímpia e da educação laica. Os vícios de impureza, de blasfêmia e de sacrilégio dominarão nesses tempos de desolação depravada, e aqueles que deveriam falar ficarão em silêncio!”
 Madre Mariana de Jesus Torres rezava diante do Santíssimo Sacramento quando, subitamente, ela viu a lamparina que brilhava diante do tabernáculo se apagar bruscamente. Como ela tentara reascendê-la, uma luz sobrenatural inundou a Igreja. Em seguida a Virgem Maria lhe apareceu. Tendo reascendido a lamparina, ela se apresentou como Maria do Bom Sucesso, e lhe explicou a razão da escuridão do santuário. 
“ - Filha querida de meu coração, sou Maria do Bom Sucesso, tua mãe e tua protetora, que, carregando meu Filho Santíssimo sobre meu braço esquerdo e segurando o cetro na mão direita, venho te dar uma boa nova: em 10 meses e 10 dias, tu fecharás os olhos à luz material deste mundo para abri-los à clareza da luz eterna. 
Ó, se todos os mortais e as almas religiosas conhecessem o que é o Céu, o que é a possessão de Deus, como eles viveriam de modo diferente e não recusariam nenhum sacrifício para possui-lo mais. Mas alguns se deixam cegar pelo brilho das honras e da grandeza humanaenquanto que outros o são pelo amor próprio, não suspeitando que eles caem na indiferença, esse mal gravíssimo que impede, nos conventos, o fervor, a humildade, a renúncia de si mesmo, a prática incessante das virtudes religiosas e da caridade fraterna com esta simplicidade de criança, que torna as almas caríssimas ao meu Filho divino, à mim, sua Mãe. 
A lamparina do santuário que queima diante do tabernáculo do Amor prisioneiro, e que vistes se apagar, tem vários significados:
O primeiro motivo da extinção da lamparina é que a partir do fim do século XIX e durante grande parte do século XX, diversas heresias abundarão sobre esta terra, que será então uma república independente. Quando essas heresias estiverem por cima, a luz preciosa da fé se apagará nas almas em razão da corrupção quase total dos costumes: nesses tempos, haverá grandes calamidades físicas, públicas e privadas. O pequeno número de almas que conservará o culto da fé e das virtudes sofrerá uma cruel e indescritível dor. Por esse martírio prolongado, muitos deles morrerão por causa da violência dos sofrimentos, e aqueles que se sacrificarem pela Igreja e pela Pátria serão contados como mártires. 
Para se libertar da escravidão dessas heresias, será preciso uma grande força de vontade, de constância, de coragem e de uma grande confiança em Deus, dons de amor misericordioso de meu Filho Divino àqueles que Ele escolheu para esta restauração. Para provar a fé e a confiança dos justos, chegarão momentos onde tudo parecerá perdido e paralisado, este será então o feliz começo da completa restauração. 
O segundo motivo é que minhas comunidades serão abandonadas. Elas serão submergidas por um mar sem fundo de amargura e parecerão mergulhadas em tribulações. Quantas verdadeiras vocações perecerão por falta de direção hábil, prudente para formá-las. As mestras das noviças deverão ser almas de oração e conhecer a diversidade dos espíritos. 
O terceiro motivo pelo qual a lamparina se apagou, é porque nesse momento a atmosfera ficará cheia do espírito de impureza quetal um mar imundo, inundará as ruas, as praças e os lugares públicos. Esta liberdade será tal que não haverá mais almas virgens no mundo. 
O quarto motivo da extinção da lamparina do santuário é que, após ter se infiltrado e se apoderado de todas as classes sociais, a seita tentará, com grande habilidade, penetrar no coração das famílias, para corromper até as crianças. O diabo se glorificará por se alimentar da deliciosa delicadeza do coração das crianças. Durante esses tempos lamentáveis, a inocência infantil subsistirá com grande dificuldade. Assim as vocações sacerdotais se perderão. Será um verdadeiro desastre.
Os padres se afastarão de seus deveres sagrados e se desviarão do caminho traçado por DeusEntão, a Igreja sofrerá a noite obscura por causa da ausência de um prelado e de um Pai que vigie com amor, doçura, força e prudência, e muitos deles perderão o espírito de Deus, colocando em grande perigo sua alma. 
Reze com insistência, incansavelmente, e chore incessantemente lágrimas amargas no segredo de teu coração, implorando a nosso Pai celeste para que, por amor pelo Coração eucarístico de meu Santíssimo Filho, por seu Precioso Sangue derramado com tanta generosidade, e pelo amargor profundo e as dores de sua cruel Paixão e Morte, que Ele tenha piedade de seus ministros e acabe com esses tempos tão funestos, enviando à Igreja o Prelado que deverá restaurar o espírito de seus padres. Meu Santíssimo Filho e Eu amaremos esse filho privilegiado com um amor de predileção. Nós o cobriremos com muitos carismas e raras capacidades: a humildade de coração, a docilidade com as inspirações divinas, a força para defender os direitos da Igreja, e um coração terno e compassivo, com o qual ele se ocupará, como um novo Cristo, com os maiores e os menores, sem depreciar os mais infelizes. Ele conduzirá com uma dor completamente divina as almas consagradas ao serviço divino nos conventos, sem lhes tornar pesado o julgo do Senhor. 
Ele segurará em sua mão a balança do santuário, para que tudo se faça com peso e medida, de modo que Deus seja glorificado. Esse prelado e pai será o contrapeso da tibieza das almas consagradas no sacerdócio e na religião. Satanás se apropriará desta terra por culpa de pessoas sem fé que, tal uma nuvem negra, obscurecerão o céu límpido da república consagrada ao Santíssimo Coração de meu Filho Divino. Esta república, visto que ela terá deixado entrar em si todos os vícios, sofrerá todos os tipos de castigos: a peste, a fome, a discórdia, a apostasia e a perda de inumeráveis almas. 
E para dissipar essas nuvens negras que impedem a luz radiosa da liberdade da Igreja,haverá uma guerra assustadora onde correrá o sangue dos padres, dos religiososEssa noite será horibilíssima, de modo que a maldade parecerá triunfarEntão chegará minha hora: de modo estupeficante, destruirei o orgulho de Satanás, colocando-o sob meus pés, o arrastando para o abismo infernal, deixando, enfim, a Igreja e a Pátria livres de sua cruel tirania. 
O quinto motivo pelo qual a lamparina se apagou é que as pessoas que possuem grandes riquezas olharão com indiferença a Igreja oprimida, a virtude perseguida, o mal triunfar. Eles não empregarão suas riquezas para combater o mal e restaurar a féO povo se tornará indiferente às coisas do Bom Deus, tomando o espírito do mal e se deixando arrastar por todos os vícios e paixões. Ah, minha querida filha, se te fosse dado viver nesses tempos funestos, tu morrerias de dor vendo se realizar tudo o que eu anunciara. O amor que meu Santíssimo Filho e eu temos pela terra, nossa propriedade, é tão grande, que desejamos desde já aplicar teus sacrifícios e boas obras para diminuir a duração de uma catástrofe tão terrível”. 

A Rainha pronunciou estas palavras:
“(…) Minha devoção, sob a consoladora invocação do Bom Sucesso, será o sustento e a salvaguarda da fé na quase total corrupção do século XX“. 

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

MEDALHAS

PEDIDOS: (12) 9 9701-2427 ou santuariodejacarei@gmail.com


























LINDAS GARRAFAS DE NOSSA SENHORA











LINDAS GARRAFAS DE NOSSA SENHORA
CAPACIDADE DE 4,7 LITROS
R$ 20,00
PEDIDOS: (12) 9 9701-2427 ou santuariodejacarei@gmail.com

CRUZ EXORCISTA DE SÃO BENTO E SANTO ANTÔNIO.

CRUZ EXORCISTA DE SÃO BENTO E SANTO ANTÔNIO.
15 CM - R$ 12,00 CADA
PEÇA A SUA CRUZ PELO TELEFONE: (12) 9 9701-2427 ou santuariodejacarei@gmail.com
PROCURE ADQUIRIR ESTAS CRUZES E VOCÊ ESTARÁ SEMPRE
ARMADO CONTRA TODAS AS FORÇAS DO MAL.



Vida de São Gabriel da Virgem Dolorosa



Movido por uma poderosa voz interior, aquele jovem vivaz, gentil e cheio de afeto
decidiu tornar-se religioso. E, já revestido do hábito passionista, em um êxtase,

sorriu pela última vez, aos 24 anos de idade.


A graciosa cidade italiana de Spoleto, na Perúgia, acordou radiante de alegria numa manhã da Oitava da Assunção de Maria, em 22 de agosto de 1856. Seus habitantes celebravam com júbilo a festa da Padroeira, agradecendo de modo especial o terem sido libertos da peste que devastara a região nos últimos anos.

Um belo quadro da Mãe de Deus, conhecido como a Madonna Del Duomo - Nossa Senhora da Catedral - ou a Sacra Icona - Sagrada Imagem -, havia sido retirado de seu relicário para ser conduzido pelas ruas, em solene procissão. Era um ícone de estilo bizantino doado à cidade pelo imperador Frederico Barba-Ruiva, em 1155, como sinal de reconciliação e de paz.

Segundo a tradição, teria sido pintado por São Lucas e se conservara na Catedral de Constantinopla até a época das perseguições iconoclastas. Não havia, naquelas animadas ruas, quem não caísse de joelhos ao ver desfilar com grande pompa a milagrosa imagem da Rainha do Céu. Todos esperavam receber d'Ela uma graça almejada, um consolo, uma bênção particular.

"O que fazes no mundo? Não foste feito para ele!"

Entre a multidão dos fiéis, aguardando a passagem do venerado ícone, destacava-se, naquele dia, um jovem de porte distinto e jovial. Quando a Sagrada Imagem da Santíssima Virgem passou diante dele e seu olhar fitou os olhos arrebatadores da imagem, ouviu de modo claro em seu interior estas inesquecíveis palavras: "Francisco, o que fazes no mundo? Tu não foste feito para ele. Segue a tua vocação!".

Nesse momento, dando livre curso a abundantes lágrimas de agradecimento e compunção, tomou a firme resolução que há tempo vinha postergando: ser religioso, decidindo entrar na Congregação dos Passionistas. "Oh! Em que abismo não teria certamente caído se Maria, benigna até para com aqueles que não A invocam, não tivesse acorrido misericordiosamente em meu auxílio naquela Oitava de sua Assunção!"2, exclamaria ele, algum tempo depois. Tal episódio comovedor foi o decisivo ponto de inflexão na vida curta, mas gloriosa, de um dos grandes santos do século XIX: São Gabriel de Nossa Senhora das Dores, conhecido como "o santo dos jovens, dos milagres e do sorriso".

Vivaz, gentil e cheio de afeto

Nascido em 1º de março de 1838, em Assis, foi ele batizado no mesmo dia com o nome de Francisco, em honra ao Poverello. Undécimo filho de uma família de treze irmãos, seu pai, o advogado Sante Possenti, exercia na época o cargo de prefeito. A mãe, Angese Frisciotti, pertencia a uma família de nobre ascendência, e morreu quando ele tinha apenas quatro anos.

Apesar de possuir um coração propenso à generosidade e simpatia, imperava no espírito daquele terno menino um temperamento indômito que, quando contrariado, se exteriorizava inúmeras vezes em ímpetos de cólera, durante os quais seus olhos escuros tornavam-se brilhantes e os pés batiam no chão com energia.

Tendo ele três anos de idade, a família Possenti transferiu-se para Spoleto, onde transcorreriam sua infância e adolescência. Ali Francisco se distinguiu por seu caráter vivaz, cheio de afeto, gentil, palavra fácil e cheia de graça, voz sonora e olhar penetrante. Seu diretor espiritual, o padre Norberto Cassinelli assim o descreve: "Reunia em si muitos dotes dificilmente encontráveis numa só pessoa. Era em verdade belo de alma e de corpo".

"Eu não vivia senão por um pouco de fumaça!"

Esse temperamento amável e privilegiado não excluía o amor ao risco, tão comum na adolescência. O comandante da guarnição militar de Spoleto, grande amigo de seu pai, instruíra o jovenzinho a manejar com certeira pontaria a pistola e o fuzil. Sendo a caça seu lazer favorito, em um ano ganhou como presente de Natal uma bela escopeta... que não deixaria de ocasionar sobressaltos e preocupações a seu progenitor.

Aos 13 anos começou a frequentar a escola dos jesuítas, onde se sobressaía a todos os companheiros. Ele "era o preferido para declamar nas soirées acadêmicas. [...] Todos o queriam, tudo lhe sorria, tudo corria de acordo com seus desejos... Seu maior gosto era brilhar nas festas, nos saraus e no teatro".

Também o baile constituía para ele grande motivo de atração. Dançava com tal habilidade que se tornou conhecido pelo apelativo de "il ballerino", e como tal animavaos mais cotados salões da cidade.

Esses momentos passados em frívolas distrações atormentaram depois sua consciência, levando-a a exclamar com frequência: "Ó, vaidade de meus passatempos!... Que cegueira a minha!... Eu não vivia senão por um pouco de fumaça!...".

Um cilício sob as roupas elegantes

Porém, o jovem Francisco professava no seu interior uma fé pura e sincera. "Nunca se aproximava dos Sacramentos sem deixar transparecer os profundos sentimentos de fé e de religioso respeito dos quais esjotava compenetrado"declarou um dos seus mais íntimos amigos da época. "Quantas vezes o vi de mãos juntas, olhos umedecidos pelas lágrimas e como que arrebatado em profundos pensamentos!".

Sobretudo, ninguém podia imaginar que aquele jovem aplaudido e aprovado por todos levava, sob as roupas elegantes e luxuosas, um rude cilício de couro cravejado de agudas pontas de ferro. No vaivém superficial dos acontecimentos, o anseio de trilhar algum dia na vida religiosa começava a despontar em sua alma. Faltavam, todavia, alguns lances decisivos para dar o derradeiro adeus ao mundo.

Árdua renúncia, feita com alegria

Após a morte da mãe, sua irmã mais velha, Maria Luísa, fora para ele um de seus principais esteios. Muito formosa, encontrava- -se ela na flor da idade quando irrompeu em Spoleto uma assoladora epidemia de cólera, da qual foi a primeira vítima... A morte da jovem, ocorrida no ano de 1855, causou em Francisco o impacto de um raio.

Disso se valeu a Providência para abrir-lhe os olhos sobre sua vocação. Logo após o falecimento, ele expôs a seu pai a resolução de ingressar num convento. Este, entretanto, recusou sua autorização, temendo que tal desejo fosse o fruto efêmero de um momento de dor. Receio, na aparência, confirmado, pois, com o correr do tempo, as atrações do mundo começaram a abafar de novo aquele anelo interior... "Podia eu" - escreveria depois Francisco a um de seus companheiros - "gozar de mais prazeres e diversões? E o que ficou de tudo aquilo? Nada mais do que vergonha, temores e turbações".

Foi nessa situação que veio dar-se o crucial encontro com a Sacra Icona, graças ao qual o renitente jovem decidiu abraçar para sempre a vida religiosa.

Poucos dias depois desse episódio, em 5 de setembro, a mais seleta sociedade de Spoleto reunia-se no salão de cerimônias do Liceu Jesuíta, para assistir à distribuição dos prêmios de fim de curso. Enquanto presidente da Academia Literária, Francisco ocupava no salão um lugar proeminente.

Chegada a hora de subir ao cenário, a assistência prorrompeu em exclamações de entusiasmo, vendo um adolescente de dezoito anos apresentar- se com tanta elegância e distinção. "Aquele timbre de voz, aquela sonoridade, aquela vocalização e, sobretudo, aquela graça de expressão e de gestos eletrizavam e sacudiam os corações mais apáticos".Terminado o discurso, todos desejavam felicitá-lo, aclamá-lo, cumprimentá-lo, e ele respondia com seu habitual sorriso.

A decisão, porém, estava tomada. No dia seguinte, ele partiria para uma mudança de vida definitiva. Com apenas 18 anos, trocava um brilhante porvir por uma vida de renúncia e recolhimento. Dava, sim, um passo árduo, mas com o coração pervadido de alegria.

Passionista para sempre

Na manhã seguinte, Francisco partiu feliz de Spoleto em direção a Loreto, onde passou alguns dias estreitando os laços de amor e devoção a Maria Santíssima, no célebre Santuário.

De lá, dirigiu-se a Morrovalle para dar início ao noviciado passionista. "Ele, o elegante bailarino, o brilhante animador dos salões de Spoleto, escolheu entrar no austero Instituto dos Passionistas, fundado em 1720 por São Paulo da Cruz, com a missão de anunciar, através da vida contemplativa e do apostolado, o amor de Deus revelado na Paixão de Cristo".

A mudança do nome para Gabriel de Nossa Senhora das Dores marcou a morte para a vida passada e o começo da caminhada nas vias da perfeição. Quando, em conversa com seus companheiros de convento, o assunto recaía sobre os acontecimentos do mundo, ele a interrompia com um sereno sorriso: "Por que falarmos daquilo que temos de abandonar para sempre? Deixem que os mortos enterrem seus mortos".

Não pensemos, entretanto, que a adaptação à austera vida religiosa foi fácil para aquele jovem de vida acomodada. Acostumado às comidas finas, "os insípidos alimentos do pobre convento passionista causavam-lhe uma repugnância invencível. Apesar dos protestos de sua natureza, insistia ele em comê-los, até que seus superiores, compadecidos, permitiram-lhe, temporariamente, algum alívio". O mesmo acontecia com outros aspectos de observância da disciplina, mas ele fazia questão de cumprir eximiamente os horários e obrigações do noviciado, por muito esforço que isso lhe custasse, dada sua delicada compleição.

Amor à Paixão de Cristo e a Maria Santíssima


Durante sua vida de religioso, nele sobressaía, sem dúvida, um arraigado amor à Paixão do Senhor. Tal veneração sentia pelos sofrimentos de Jesus que nunca se separava do crucifixo: "Quando conversava, mantinha-o dissimuladamente na mão e o apertava com carinho; quando dormia, colocava-o sobre o peito; quando estudava, punha-o junto ao livro e, de vez em quando, o fitava e osculava com tanto afeto e fervor, que a imagem de metal foi-se gastando até ficarem apagados todos os traços da fisionomia".

A essa devoção característica da congregação em que ingressara, no entanto, unia-se um amor "entusiasta, engenhoso e aceso à Santíssima Virgem". Seu famoso Credo di Maria revela-nos o encanto dessa alma apaixonada pela Mãe de Deus:

"Creio, ó Maria, [...] que sois a Mãe de todos os homens. [...] Creio que não há outro nome, fora do nome de Jesus, tão transbordante de graça, esperança e suavidade para aqueles que o invocam. [...] Creio que quem se apoia em Vós não cairá em pecado, e quem Vos honra alcançará a vida eterna. [...] Creio que vossa beleza afugentava todo movimento de impureza e inspirava pensamentos castos".

Curta existência, pontilhada de atos heroicos

Na mente do noviço Gabriel, não havia espaço para nenhum outro pensamento a não ser Jesus e Maria. E sentia uma tão entranhada necessidade de levar às últimas consequências sua entrega a Deus e a Maria Santíssima que, certa vez, ao ouvir os passos de seu diretor espiritual, abriu a porta da cela e, arrojando-se a seus pés, lhe suplicou: "Padre, se achar em mim qualquer coisa, por pequena que seja, que não agrade a Deus, eu, com sua ajuda, quero arrancá-la a todo custo!". O sacerdote respondeu-lhe que, no momento, nada via, contudo não deixaria de alertá-lo ao perceber algum sinal. Com essa garantia, o dócil religioso acalmou-se completamente.

Reconhecendo na hora suprema sua fraqueza, o santo repetia:
"Meus méritos são as vossas chagas, Senhor!"

Sua curta existência foi pontilhada de atos admiráveis, pois tudo praticava com espírito de inteira elevação e sublimidade: "Nossa perfeição não consiste em fazer coisas extraordinárias, mas em executar bem as ordinárias"18, costumava dizer.

O último sorriso
Após um ano e meio de noviciado, em fevereiro de 1858, Gabriel deu início aos estudos para o sacerdócio, passando a morar finalmente no convento de Isola del Gran Sasso, onde viria falecer. Em 25 de maio de 1861, recebeu as ordens menores na Catedral de Penne. Pelos arcanos desígnios da Providência, porém, não chegaria a tornar-se presbítero.

No final desse mesmo ano, uma terrível tuberculose o acometeu. Ora, longe de impedir-lhe o avanço nas vias da virtude, a fatal enfermidade servia-lhe para escalar com mais rapidez os píncaros da santidade. Deus dispôs que ele fosse sendo consumido aos poucos pela doença, para aumentar-lhe os méritos e dar aos outros ocasião de se edificarem com seu exemplo.

No leito de morte, restava-lhe ainda enfrentar o pior drama da sua vida: os derradeiros assaltos do demônio e a terrível provação decorrente de uma "noite escura da alma". Entretanto, também dessa última prova saiu vencedor. O sacerdote que lhe prestava assistência na hora suprema ouviu- o repetir três vezes, em curtos intervalos de tempo, esta frase de São Bernardo, pela qual ele reconhecia diante de Deus sua própria fraqueza: "Vulnera tua, merita mea. Meus méritos são vossas chagas, Senhor!".

Na manhã de 27 de fevereiro de 1862, com o coração transbordante de alegria, as mãos cruzadas sobre o peito, apertando o crucifixo e a imagem da Virgem Dolorosa, Gabriel sorriu pela última vez, extasiado, ao contemplar com os olhos da alma Aquela a quem servira na Terra com tanta doçura. O "santo do sorriso" tinha, então, apenas 24 anos de idade.



CAPELINHAS DE NOSSA SENHORA, DE SÃO GABRIEL DA VIRGEM DOLOROSA, SANTA GEMMA GALGANI E SANTA VERÔNICA GIULIANI.
PEDIDOS: (0xx12) 9 9701-2427 ou santuariodejacarei@gmail.com




sexta-feira, 5 de setembro de 2014

1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística Gravação do Vidente Marcos Tadeu Santuário das Aparições




1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística Gravação do Vidente Marcos Tadeu Santuário das Aparições 


Gravação do Vidente Marcos Tadeu 
Santuário das Aparições de Jacareí 
Pedidos dos CDs: (0xx12) 9 9701-2427 

LINKS PARA REZAR:

1º Dia da 1º Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística Gravação

***

2º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

3º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

4º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

5º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

6º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

7º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

8º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

9º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

10º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

11º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

12º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

***

13º Dia da 1ª Trezena de Nossa Senhora Rosa Mística

div.pombas
b.pisca


TRANSMISSÕES AO VIVO DIRETO DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREI - SP - BRASIL
Daily Apparitions' broadcast direct from the Apparitions Shrine of Jacareí

De Segunda a Sexta-feira às 21:00h | Aos Sábados, 15:00h | Aos Domingos, 09:00h 
Week days, 09:00 PM | On Saturdays, 03:00 PM | On Sundays, 09:00AM (GMT -02:00)

JACAREÍ, 14.07.2014 -MENSAGEM DE SÃO CAMILO DE LELLIS - DIA DE SUA FESTA - 303ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA - TRANSMISSÃO DAS APARIÇÕES DIÁRIAS AO VIVO VIA INTERNET NA WEBTV MUNDIAL: WWW.APPARITIONSTV.COM


ASSISTA E DIVULGUE O VÍDEO DESTE CENÁCULO ACESSANDO:
WWW.APPARITIONSTV.COM



JACAREÍ, 14 DE JULHO DE 2014
303ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA
TRANSMISSÃO DAS APARIÇÕES DIÁRIAS AO VIVO VIA INTERNET NA WEBTV MUNDIAL: WWW.APPARITIONSTV.COM
2ª MENSAGEM DE SÃO CAMILO DE LELLIS
(Dia de Sua Festa)

 (São Camilo): “Amados irmãos Meus, Eu, Camilo, servo do Senhor e da Mãe Santíssima, alegro-Me em vir a vós no Meu dia, para vos abençoar e dizer-vos: Amai a Senhora Rosa Mística com todo o vosso coração, fazendo da vossa vida uma oferta total de amor para Ela.
O que Ela veio buscar quer em Montichiari, quer Aqui são almas de amor oferente, de amor total, de generosidade, entrega. Entrega tão grande, entrega tão completa a ponto de chegar até o sacrifício, por amor de Deus e por amor da salvação dos pobres pecadores.
Sede destas almas, sede estas almas vivendo no perfeito amor a Deus e a Ela. Que maior graça poderá haver se não viver para Ela, com Ela e por meio Dela a Deus.
Então, oferecei-vos pela salvação da humanidade fazendo a renúncia da vossa própria vontade, para que a Senhora Rosa Mística possa realizar em vós tudo o quanto Ela quiser para o vosso bem e o bem do mundo.
Invocai-Me mais vezes, porque vós Me tendes esquecido muito e Eu tenho graças muito especiais para vos dar e para derramar sobre vós, sobretudo, para a cura espiritual, para a cura dos vossos corações.
A todos neste momento abençoo e digo: Rezai o Rosário todos os dias, que é meio seguro de salvação.

A todos abençoo com amor generosamente."

div.pombas
b.pisca


TRANSMISSÕES AO VIVO DIRETO DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREI - SP - BRASIL
Daily Apparitions' broadcast direct from the Apparitions Shrine of Jacareí

De Segunda a Sexta-feira às 21:00h | Aos Sábados, 14:00h | Aos Domingos, 09:00h 
Week days, 09:00 PM | On Saturdays, 02:00 PM | On Sundays, 09:00AM (GMT -02:00)